Ruas – Região Central

Página 1 de 8 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte

Ir em baixo

Ruas – Região Central

Mensagem  Narração em Dom Jan 13, 2013 8:52 pm

A famosa Downtown. Do centro, de carro, levam-se 15 minutos para chegar na Zona Norte, 10 para chegar à Zona Noroeste e Zona Oeste, 20 minutos para chegar às Zonas Sudeste, Zona Nordeste e Zona Sul.

Repletas de construções antigas e arranha-céus, o Centro é o antro de proliferação de boa parte da podridão da cidade, mas com seus infindáveis becos, mau policiamento e clima apático, oferece aos Lobisomens um dos melhores campos de batalha que uma cidade pode oferecer.

avatar
Narração

Mensagens : 317
Data de inscrição : 12/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Narração - Khloe

Mensagem  Narração em Seg Jan 14, 2013 3:10 pm

A mistura de insegurança, descrença e esperança permeia o pensamento de Khloe enquanto caminha pelas ruas do centro da Cidade do México. O clima pesado típico de uma metrópole, a iluminação mais fraca do que o necessário e a visão de pequenos grupos suspeitos em cada esquina a faziam se perguntar se aquilo era mesmo uma boa ideia. Mas a mera possibilidade de encontrar a mãe que a abandonou, assim como possivelmente abandonou a própria vida, era tentadora demais para que a jovem não tentasse a sorte. O lugar marcado a levou para uma rua um pouco mais escura que as principais nas quais andava anteriormente, com postes mal posicionados e mais fracos do que deviam. No final da rua, mais um daqueles grupos suspeitos, mas o “calibre” menor da rua significava que, se quisesse encontrar sua mãe, teria que passar por eles.
avatar
Narração

Mensagens : 317
Data de inscrição : 12/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Khloe - Narração

Mensagem  Khloe Lykainion em Seg Jan 14, 2013 4:43 pm

A noite era quente, sufocante. Khloe ainda não tinha se acostumado aquele calor tão forte em plena noite. Ela vestia uma calça jeans, uma baby look branca com o símbolo Paz e Amor, e nos pés tinha um par de All-Stars jeans, uma bolsa jeans , cruzada no peito, e uma boina com brilhos prateados, completava o look descontraído da bela jovem de 22 anos, que por onde passava, era capaz de chamar atenção pela beleza que poderia ter feito dela uma modelo de sucesso.

Ela caminhava pelas ruas daquela cidade ainda estranha, na qual chegara no dia anterior em busca de respostas. Um turbilhão de emoções diversas misturavam-se como ingredientes em um liquidificador. Durante todo o dia pensou como seria, como se sentiria, o que falaria e o que ouviria. Era possível?

Khloe ainda não sabia, mas estava, literalmente, pagando para ver. As circunstâncias que a levaram até ali, todas envoltas em mistérios, faziam-na questionar-se do quão insano tudo aquilo era. Pensa em sua vó e no que ela estaria pensando agora, se pudesse vê-la.

“Desculpe vó, sei que você não queria isso, mas eu preciso descobrir. Preciso!”

E assim, decidida, continuou sua caminhada. Acabava de chegar na rua do encontro marcado, onde um grupo de suspeitos estava no caminho. Para seguir, precisaria passar por eles, mas Khloe não se assustou, sabia se defender, e muito bem, por isso apenas deu uma inspirada forte e a passos decididos continuou seu trajeto, agora mais do que nunca atenta a tudo, talvez estivesse apenas a poucos passos da mãe que julgara morta desde seus 3 anos de idade.


Última edição por Khloe Lykainion em Seg Jan 14, 2013 4:54 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Khloe Lykainion

Mensagens : 164
Data de inscrição : 14/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Narração - Khloe

Mensagem  Narração em Seg Jan 14, 2013 4:53 pm

O grupo é formado por 3 sujeitos, tipicamente nativos daquela cidade. Estavam encostados em um carro rebaixado, de onde, ao se aproximar mais, Khloe podia ouvir algum repetitivo rap americano, o qual os três seguiam, acompanhando o ritmo. Um deles, quando a vê, dá uma cutucada em um segundo, que pela postura, parecia ser o líder daquele grupo, ou qualquer coisa do tipo. Estava sem camisa, mostrando uma típica tatuagem das gangues mexicanas em seu peito. Um nome incompreensível que começa em um ombro e termina em outro. Um lenço verde tapa boca e nariz, e um boné de aba reta cobre a cabeça do mesmo. Apesar das vestes, não era um sujeito de aparência muito ameaçadora, com seu porte magro, e altura não muito surpreendente. Mas mesmo assim, possuía o típico ego de um delinqüente. Deu um passo à frente, falando com Khloe em um espanhol com sotque estranho, forçado. Os braços estavam abertos, com os dedos apontando pra ele mesmo.

- Olha só, Chica! Pra que tanta pressa? Não vai encontrar lugar melhor que o carro do papi aqui!

Os outros começaram a rir, incentivando-o a continuar. A beleza estonteante de Khloe mostrava alguns prejuízos, como momentos como aquele. Mas sua postura obstinada poderia vencer o desafio.

avatar
Narração

Mensagens : 317
Data de inscrição : 12/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Khloe - Narração

Mensagem  Khloe Lykainion em Seg Jan 14, 2013 5:19 pm

”Traficantes? Marginais? Hum, isso me lembra-me os tipos das gangs do GTA.”

Pensou Khloe ao se aproximar do trio e ter uma idéia mais exata dos sujeitos. Ela ouve o que o sujeito que parecia o líder do grupo diz, em um sotaque diferente do que ouvira desde que chegara ao México. Ter aprendido espanhol na escola e continuado a praticá-lo depois disso, fazia agora bastante diferença naquela cidade estranha. Ele estava se engraçando com ela e seu pensamento automático é:

“No seu carro é? Nem nos meus piores pesadelos, idiota!”

Certamente sua presença não passaria despercebida por mais que ela quisesse que isso tivesse acontecido naquele momento, mas eram os incômodos que a beleza podia trazer quando menos se desejava.

Uma garota nesta situação, possivelmente passaria encolhida e de cabeça abaixada, o que ela sabia ser um prato cheio para quem quisesse intimidar e se aproveitar dos mais frágeis, mas não Khloe. Ou outros riem da babaquice que o sujeito diz e aquilo deixa Khloe com raiva. Detestava certos modos dos homens.

Ela olha-os nos olhos, mostrando que não os temia, porém nada diz, e apenas tenta seguir o seu caminho, ficando atenta obviamente a qualquer outra atitude mais agressiva que o grupo pudesse fazer. Eles podiam ser 3, mas ela estava pronta para se defender se preciso fosse.

Ai,de quem tentasse encostar um dedo nela! Arrependeria-se, com certeza!

avatar
Khloe Lykainion

Mensagens : 164
Data de inscrição : 14/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Narração - Khloe

Mensagem  Narração em Seg Jan 14, 2013 5:48 pm

A passagem quieta e desafiadora de Khloe deixou os 3, mas em especial o líder, completamente desconcertado. Parecia não acreditar no que via, e apenas a acompanha com o olhar, até que a mesma atravessou a rua na direção de onde o encontro havia marcado: outra rua pouco movimentada, protegida por grandes latões de lixo altos, com passagens estreitas para dentro do mesmo. Como se tivessem sido colocadas ali para oferecer alguma privacidade ao beco.

- Ah, mas nem fodendo!

É o que Khloe pode ouviu, perto de entrar no beco. Se olhar para trás, poderá ver os 3 se aproximando. O líder com uma espécie de chave de rosca. Não muito grande, mas o que bastante para fazer qualquer pessoa já pensar na dor que uma pancada daquilo causaria.
Foi então que um sujeito saiu do beco. Sua altura era por volta de 1,60 de altura, mas o que faltava em tamanho, restava em postura. Vestido de botas de couro surradas, calças jeans e jaqueta do mesmo tecido. Ostenta um rabo de cavalo não muito trabalhado, e uma barba ao estilo cavanhaque. Ficou entre Khloe e os 3, apontando para os mesmos e acenando negativamente com a cabeça, dizendo com sua voz um pouco rouca.

- Nem pensem nisso. Agora sumam!

Pela reação dos 3, que correram na direção do carro e logo arrancaram, cantando o pneu em sua fuga, Khloe podia presumir que era um sujeito conhecido, e certamente, não por bons motivos. Ele observou o carro se afastar, e então, voltou-se para a bela jovem, chamando-a com um dedo enquanto se aproxima das sombras do beco, toscamente iluminado por apenas uma lâmpada na parede do prédio.

- Venha. Sua mãe a espera.



avatar
Narração

Mensagens : 317
Data de inscrição : 12/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Khloe - Narração

Mensagem  Khloe Lykainion em Seg Jan 14, 2013 6:20 pm

Khloe não tem como evitar que um sorriso vitorioso brote em seu rosto enquanto afastava-se do inconveniente trio. Ela já chegava a próxima rua, a do encontro em um beco, quando ouve novamente a voz do sujeitinho que ficara para trás. Olha imediamente para trás e vê que eles vinham em sua direção, armados em machões com orgulho ferido e trazendo sua coragem na mão, uma ferramenta que certamente tentariam usar de arma para “lavar sua honra”.

“Ok, isso pode ficar feio, pra eles! Se é assim que pensam que uma mulher deve ser tratada, eu vou dar uma lição pra esses merdas!!”

Sente a raiva aumentar, mas antes que eles chegassem até ela, um cara sai do beco e se coloca entre eles, era um baixinho de rabo de cavalo, que com poucas palavras coloca os corajosos para correr como crianças que encontravam o bicho-papão. Logo em seguida, dispensando qualquer apresentação, ele simplesmente chama-a dizendo que sua mãe a esperava. Uma criatura em sã consciência não atravessaria por aqueles latões de lixo rumo a um beco escuro com um sujeito que com certeza devia ser algum bandidão da área para ter colocado os corajosos para correr daquele jeito.

Khloe começa a se questionar por quê sua mãe tinha escolhido um local tão “barra pesada” para o primeiro encontro delas, mas só havia uma forma de descobrir e por isso ela simplesmente segue o sujeito para dentro do beco, sentindo que seu coração estava acelerado dentro de seu peito, estava cada vez mais próxima da hora da verdade.
avatar
Khloe Lykainion

Mensagens : 164
Data de inscrição : 14/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Narração - Khloe

Mensagem  Narração em Seg Jan 14, 2013 6:35 pm

E apesar de suas dúvidas, Khloe entra no beco. Nos primeiros instantes não veria muito, por causa da relativa escuridão do lugar, mas logo a visão se adapta à lâmpada falha. Lá dentro, duas mulheres esperam. Uma podia ser confundida com uma espécie de extremista de tribos urbanas de modificação corporal. Pele morena, típica da população indígena, testa modificada com chifres abaixo da pele, tatuagens por todo o corpo. Veste roupas de couro típicas de uma dominatrix, sobre saltos de aproximadamente 30 centímetros. Algo que deixaria a maioria das pessoas sem qualquer equilíbrio, mas estranhamente, aquela conseguia ficar numa boa em toda essa altura. Junto dela, uma mulher que Khloe poderia reconhecer das fotos que sua avó lhe mostrava: a mulher de uma altura similar à dela, face bem simétrica e belos cabelos cacheados, até mesmo bem longos. Essa usa um vestido negro. A aparência da mulher é completamente trêmula, como se tivesse sido atacada por todas as suas emoções. 20 anos se espera agonizante pareciam prestes a valer a pena. A passos lentos, ela se aproximou de Khloe, erguendo um dos trêmulos braços na tentativa de tocá-la no rosto, mas ao mesmo tempo, parecia assustada, sem a ousadia necessária para tocá-la.

- Khloe... Minha filha... Não ouso pedir seu perdão, quero apenas que entenda, e acredite no que tive que passar nesses 20 anos. Longe de você, da mamãe... Como um monstro.[

O final de sua frase terminou em gaguejadas inseguras. A outra mulher e o homem ficam completamente imóveis e silenciosos, observando a cena com uma certa curiosidade.



Aparência 1


Aparência 4
avatar
Narração

Mensagens : 317
Data de inscrição : 12/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Khloe - Narração

Mensagem  Khloe Lykainion em Seg Jan 14, 2013 7:20 pm

Após alguns instantes que sua visão leva para adaptar-se ao local bastante escuro, Khloe divisa a silhueta de duas mulheres, a medida que se aproxima, pode observar melhor as mulheres e talvez tenha assustado-se com a “bizarrace” da mulher que acompanhava sua mãe. Era, aos seus olhos, uma figura completamente grotesca e exótica com suas tatuagens e chifres, no alto de provavelmente o salto mais alto que já vira em sua vida e seus dentes pontiagudos protuberantes. Seria aquela uma vampira também? Já não duvidava… aquela mulher já tinha deixado de ser “normal” há muito tempo, mas assim também faziam umas figuras exóticas que iam modificando seus corpos das formas mais bizarras possíveis. Talvez a mulher lhe tivesse deixado receosa de aproximar-se, mas logo estes pensamentos se afastam, pois seus olhos, estupefatos, prendem-se na figura da mulher que era exatamente a imagem de sua mãe nas diversas fotos que faziam partes das recordações de sua avó e de suas próprias.

Naquele momento, Khloe só desejava olhar para ela e mais ninguém. Como era possível? Aquela era mesmo a sua mãe? Sua mãe era uma vampira? O coração agora parecia uma verdadeira escola de samba, batendo descontroladamente e aceleradamente, enquanto ela via sua mãe querendo tocar-lhe mas sem a coragem suficiente, enquanto tentava desculpar-se de sua ausência de uma vida inteira.

Khloe estava petrificada, ao mesmo tempo que desejava abraçar sua mãe, também sentia-se insegura com tudo aquilo. Ver vampiros nos filmes era uma coisa, agora acreditar que aquilo realmente poderia ser real, era outra completamente diferente.

Após alguns instantes sem palavras, ela diz, na mesma posição em que estava:

– Eu quero entender… me conte… tudo. Temos… muito o que conversar. Mas podemos ir para um outro lugar mais agradável e a sós?

Não a chama de mãe, olha ao redor, percendo imóveis e silenciosas aquelas figuras que estavam ali com eles.
avatar
Khloe Lykainion

Mensagens : 164
Data de inscrição : 14/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Narração - Khloe

Mensagem  Narração em Seg Jan 14, 2013 7:34 pm

E após todo aquele tempo em silêncio mortal, a mulher responde. Sua voz era carregada de malicia. E durante a fala, Khloe poderia perceber melhor o tamanho das presas, assim como a imagem da longa língua bifurcada, de coloração completamente roxa, maior do que se espera de uma língua humana, o que distorce a fala da mulher, tornando-a um pouco embolada, mas perfeitamente compreensível.

- Quanto a isso não existem dúvidas. Está prestes a ir para um lugar agradável, pacífico, perfeito... Mas a só, não a sós. Sua mão não irá para o mesmo lugar.

O sorriso da mulher se tornou completamente sádico, como se tivesse um prazer doentio em quebrar completamente o clima de reencontro entre as duas, que qualquer pessoa com um coração saberia doer mais do que um soco. O homem apenas sorriu de canto, segurando o pulso de Khloe com força, o bastante para machucar um pouco, mas nada que chegasse a colocar seus ossos em risco. A mãe de Khloe gritou, tentando agarrar o homem para libertar sua filha, mas a outra mulher a jogou contra a parede com enorme violência, agarrando seu pescoço morto com as compridas unhas quadradas e pintadas de negro. Uma cólera jamais vista por Khloe podia ser sentida a partir da voz da mulher.

- Eu estou cansada. 20 malditos anos, e você chora. Choraminga por uma... filha. Uma mortal! Mortal algum é digno do lamento de um dos escolhidos de Caim! Estou farta! Agora. Como a Sacerdote desse Bando, eu a ordeno: drene essa mortal. E pense bem antes de responder que não. Preciso muito de uma bolsa falante pra guardar os restos do jantar de ontem. Ela é tão bonita... Essas pernas esguias dariam uma ótima alça!

Disse com o rosto virado para Khloe, olhando-a da cabeça aos pés, como se a medisse com os olhos. A mãe de Khloe não duvida das palavras daquela verdadeira lunática, que já transformou mortais em objetos menos nobres que uma bolsa. Quando voltou a olhar para a mãe, sorriu, passando as duas pontas da língua pelo rosto dela.

- O Bispo Gonzales sabe, e aprova... Quem você acha que tornou tão fácil a vinda da sua filhinha?

A mãe tenta empurrar, mas ainda era jovem e fraca, diferente da Sacerdote que a mantém na parede, beirando o primeiro século de existência. Desesperada, grita.

- Matheo! Solte-a! Por tudo que há de sagrado, por favor, solte-a!
avatar
Narração

Mensagens : 317
Data de inscrição : 12/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Khloe - Narração

Mensagem  Khloe Lykainion em Ter Jan 15, 2013 6:20 am

Não é sua mãe que responde, mas sim aquela mulher, não, aquela coisa! Aquilo, seja lá o que fosse, humano não era, poderia ter sido, mas não era mais. Ela cospe palavras totalmente inadequadas para aquele momento e quando Khloe começa a ficar realmente receosa, tudo muda.

Ela é agarrada pelo pulso de forma bruta pelo sujeito, sua mãe grita e é arremessada para a parede como se fosse uma boneca de pano para logo em seguida ser segurada pelo pescoço pela criatura que continua vomitando palavras que fazem Khloe entender que aqueles outros também eram malditos vampiros. Falava um monte de coisas que Khloe não entendia, mas naquele momento Khloe não estava interessada em entender porra nenhuma, ela sentia um medo e ódio. Medo por não entender onde tinha se metido e ódio pelo que a outra fazia a sua mãe.

Sim, talvez pudesse não conhece-la, mas aquela era a sua mãe e sua mãe a amava pois pedia desesperadamente para que o sujeito a soltasse. De repente, Khloe sabia exatamente o que fazer, precisava salvar sua mãe das mãos nojentas daquela criatura, precisavam se livrar deles e só havia uma maneira: lutando. Era o instinto de sobrevivência que gritava e exigia que ela fizesse o que tinha que ser feito, e que fizesse agora.

Não precisava de palavras, não precisava de nada além de punhos e pés ágeis e da concentração que apenas os anos de treinamento em artes marciais lhe proporcionaram. Era hora de lutar pra valer, pois precisava salvar a mãe que desesperadamente desejava conhecer, agora, mais do que nunca.

_______________________________ .

OFF: Khloe tentará livrar-se da pegada e incapacitar o sujeito e se tiver sucesso, avançará na vaca que segura sua mãe.
avatar
Khloe Lykainion

Mensagens : 164
Data de inscrição : 14/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Narração - Khloe

Mensagem  Narração em Ter Jan 15, 2013 9:35 am

- Não há nada mais sagrado que o sangue de Caim que corre por suas veias! Aja como tal!

O homem exclamou, parecia furioso por sua voz levemente gutural.

- Calada! Já vi que não serve pra nada mesmo! Se você não vai resolver isso, eu vou!

E a monstruosa mulher simplesmente rugiu na cara da mãe de Khloe, virando-se na direção da jovem, que apesar de suas tentativas de escapar, não obteve grande êxito. Apesar de seu tamanho e peso nada ameaçadores, o homem que a segura mostra mais força o que qualquer pessoa que ela tenha encontrada no mundo das artes marciais em todos esses anos. E a tentativa o fez agarrá-la, agora não pelo pulso, mas pela cintura, pisando na parte de trás do joelho, forçando a perna a se dobrar, na tentativa de colocá-la de joelhos. A Sacerdote se aproximou, forçando propositalmente as suas pisadas, deixando o som dos gigantescos saltos “estalarem” pela acústica do beco. Ela se curvou, levando uma mão ao joelho e outra ao queixo de Khloe, passando as pontas quadradas das unhas estranhamente cumpridas pelo belo rosto.

- E ainda tenta resistir... Daria uma ótima Sabá. Matheo, se, não... quando ela tentar intervir, quebre os braços. Nos dará tempo o bastante pra terminar.

E assim como fez com a mãe, a mulher colocou pra fora sua anormalmente grande língua roxa, passando-a do queixo até um dos olhos de Khloe, terminando em uma risada quase histérica. Mas seu erro mais fatal, foi rosnar, com as enormes presas à mostra.
Isso foi a gota d’água. O medo, o ódio. Instrumentos básicos da sobrevivência convergiram para a Fúria. Algo que ficou guardado por mais de duas décadas, um instinto mais antigo que qualquer ferramenta humana. As feições de Khloe começaram a mudar, com seus ossos se retorcendo, músculos se estendendo, aumentando. Não demorou até que suas roupas fossem rasgadas. A visão da jovem tornou-se turva, como se sangue escorresse sobre seus olhos, e a garganta chega a doer com a ferocidade que deseja se soltar. Em meio à transformação, a Sacerdote grita.

- Lupino! Mate, Matheo! Pegue a cabeça!

Obediente, o pequeno, e agora um tanto assustado homem aproveita o agarramento para tentar uma mordida, mas mesmo com sua grande força, os dentes não penetram muito no ombro musculoso, agora peludo de Khloe. No máximo, atiçaria mais a sua Fúria. A transformação havia chegado ao fim, e os tais Vampiros seriam lembrados de um terror muito mais antigo que o primeiro de sua espécie.


----------------------------------

2013-01-15 07:16:29 Matheo rolls 7 dice to Segurar 6,6,4,2,5, 9,8 (4 successes)
2013-01-15 07:15:55 Khloe rolls 6 dice to Se livrar 4,1,6,3,3, 9 (1 success)

Bem. Agora, pode escolher a forma mais selvagem e brutal de chutar uns traseiros Sabá. Não serão feitos testes, já que os 3 Vampiros são jovens, presas fáceis. Só soltar a imaginação! Ah, e ela não fará distinção entre a mãe e as outras.
avatar
Narração

Mensagens : 317
Data de inscrição : 12/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Khloe - Narração

Mensagem  Khloe Lykainion em Ter Jan 15, 2013 5:44 pm

Khloe, por mais que tentasse, simplesmente não consegue se livrar daquele baixinho que revelava uma força descomunal, jamais vista por Khloe em nenhum dos oponentes com quem já lutara. Logo era agarrada por trás e forçada a ajoelhar-se e no instante seguinte, aquela odiosa criatura estava diante de si, tocando-lhe o rosto com suas unhas estranhas e depois com aquela língua diabólica, a esta altura, Khloe sentia as mais diversas e inexplicáveis emoções dentro de si, agitando-se freneticamente a ponto de explodir, mas é quando aquela vadia rosna como uma maldita, exibindo suas presas para Khloe, que algo, jamais sentido, liberta-se com um rugido alto.

Sem compreender, Khloe sente todo seu corpo se transformando em algo que ela não sabia o que era, sua visão fica embaçada por um vermelho escarlate, sua garganta parecia doer pedindo por algo, como se uma fome voraz lhe consumisse e lhe guiasse de forma insana.

Algo lhe pica no ombro, e instintivamente Khloe lança seu braço para trás, para arrancar aquele incomodo e tentar arremessa-lo longe, em seguida desejava destruir aquela mulher demônio que ousara rosnar para ela. Khloe não tinha muita noção do que fazia, agia por instinto, por puro impulso de fúria e isso talvez só cessasse quando todos aqueles que se colocassem em seu caminho estivessem destruídos… para sempre.
____________________.

OFF: Ela tenta morder, enfiar as garras, o que for. O que vale é destruir quem incomodar. ^^
Não sei se é possível, mas caso seja, se puder gastar FDV para não atacar a mãe, eu gasto ok? Senão, paciência… ^^

avatar
Khloe Lykainion

Mensagens : 164
Data de inscrição : 14/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Narração - Khloe

Mensagem  Narração em Ter Jan 15, 2013 6:17 pm

A criatura meio homem e meio lobo se levantou em seus dois metros e sessenta e cinco centímetros de altura, com músculos grandes e bem definidos pela negra pelagem curta, exceto pelo rosto e parte frontal do pescoço, onde um branco imaculado se mostra. Um fenótipo comum aos antigos Lobisomens das ilhas gregas, e de todas as terras abaixo do Olimpo. O que é facilmente explicado pela origem grega de Khloe.
O homem, ao ser pego e arremessado, tem um duro aprendizado quanto as garras da garota, de aproximadamente vinte centímetros, o suficiente para destroçar o abdômen mesmo sem a intenção clara. Ao ser jogado contra a parede, simplesmente tenta juntar o que escapa de sua cavidade abdominal.

- Vadia!

É o que a mulher de aparência demoníaca grita antes de partir para o ataque, que obviamente, não teve grande sucesso. A mão se encontrava em um grande dilema: o amor por sua filha, ou o vínculo com o bando. Mas como todo Vampiro podia saber, o sangue sempre vence. Ela correu na direção de Khloe, tentando segurá-la, afastá-la, ou o que pudesse fazer para manter a integridade de seu bando, embora não tente machucar sua filha. No fundo, sabia que essa seria sua ruína, mas naquele momento, não havia lugar para racionalidade.


----------------

Em Primeira Transformação, todo mundo que está perto morre.x.x
avatar
Narração

Mensagens : 317
Data de inscrição : 12/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Khloe - Narração

Mensagem  Khloe Lykainion em Ter Jan 15, 2013 6:51 pm

A fera continuava com sua sede de fúria e todos que se colocavam em seu caminho eram alvo de sua fúria.

Khloe não sabia, mas sua mãe, ao colocar-se em seu caminho, tornara-se o seu próximo alvo. A fera não fazia distinções, não tinha laços emotivos, era egoísta, queria apenas saciar sua desenfreada fúria. E por isso a fera simplesmente procura pegar aquela criatura que tentava lhe agarrar e tenta arrancar sua cabeça com uma mordida. Algo selvagem ansiava pelo gosto de sangue, pelo sangue que mataria a sua sede incontida…

Nem em seus piores pesadelos Khloe poderia imaginar uma cena daquelas, mas era assim que ela agia, tomada por uma força muito maior do que si mesma.

avatar
Khloe Lykainion

Mensagens : 164
Data de inscrição : 14/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Narração - Khloe

Mensagem  Narração em Ter Jan 15, 2013 7:14 pm

Khloe não encontra qualquer dificuldade em retirar a cabeça da mulher de seu corpo, como se a carne fosse feita de gelatina, e os ossos, de açúcar ou qualquer liga fraca. Restava apenas a mulher, que se afastou, encostando-se na parede e erguendo seus braços. Sabia que não tinha como fugir. Dela, a nova Lobisomem poderia sentir um estranho cheiro de sangue velho, e um odor bem fraco de carne em decomposição, algo que escaparia a qualquer sentido humano. Subitamente, aproveitando os instantes que poderia ter, a mulher ergue o rosto, dizendo em voz alta.

- Venham a mim, bestas! Venham!

E imediatamente, um cão apareceu no beco. Corria como se estivesse sendo chamado por seu dono, mas ao ver a imagem aterradora de Khloe, simplesmente para, chegando a derrpadar um pouco no chão. Chorou como se estivesse sendo torturado, enfiando o rabo entre as pernas e correndo na direção oposta. O mesmo aconteceu com os próprios que apareceram.
avatar
Narração

Mensagens : 317
Data de inscrição : 12/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Khloe - Narração

Mensagem  Khloe Lykainion em Ter Jan 15, 2013 7:46 pm

O crânio de sua mãe era triturado em sua imensa bocarra, saciando momentaneamente seu desejo destruidor, mas logo sua atenção voltasse para o que ainda se movia naquele beco e um rosnado alto escapa de seu peito ao ver aquela criatura que tanto ódio lhe causava. A fera fareja odores sutis que emanavam da criatura, que são reconhecidos como sangue velho, e carne em decomposição. A mulher fala e Khloe urra ferozmente. Sem importar-se com o que acontecia e focada na criatura, Khloe dispara na direção da mesma, queria fazer o mesmo que fizera com seu último alvo, queria arrancar a cabeça daquela vampira maldita.

avatar
Khloe Lykainion

Mensagens : 164
Data de inscrição : 14/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Narração - Khloe

Mensagem  Narração em Ter Jan 15, 2013 8:11 pm

Essa ofereceu uma maior resistência, empurrando, batendo, e até mesmo tentando morder. Mas os braços longos da Lobisomem trataram de deixá-la sem opções. A cabeça dessa não se soltou tão facilmente, forçando Khloe a puxar, e até mesmo mastigar a carne e os tendões para que se soltem. Mas eventualmente, ela acabou caindo. Restavam apenas os resmungos do moribundo, que parecia delirar com a dor, deitado próximo à parede. Estava tão pálido quanto uma parece recém pintada, graças a todo sangue que perdeu. De maneira falha, tentou dizer.

- Retornaremos... Para... Caim.

Se estivesse sóbria, ela perceberia que aquele provavelmente se tratava de um religioso fanático ou algo do tipo.

avatar
Narração

Mensagens : 317
Data de inscrição : 12/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Khloe - Narração

Mensagem  Khloe Lykainion em Qua Jan 16, 2013 9:56 am


O combate que a próxima presa procura dar a fera, aumenta sua voracidade, e se naquele estado era possível sentir prazer, foi isso que Khloe sentiu ao finalmente ter em sua boca a cabeça da criatura, mastigando-o com selvageria sem tamanho. Então um som capta novamente a atenção da fera que olha para o local onde o primeiro que atacara estava caído, ainda consciente, porém sem forças sequer para erguer-se e proporcionar-lhe algum combate.

Khloe, em 4 patas, avança rapidamente na direção do vampiro e então abre sua bocarra urrando a plenos pulmões bem na cara do sujeito para logo em seguida simplesmente engolir, da mesma maneira que fizera com todos que se colocaram em sua frente.

Sim, a fera ainda desejava saciar-se, até o último instante.
avatar
Khloe Lykainion

Mensagens : 164
Data de inscrição : 14/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Narração - Khloe

Mensagem  Narração em Qua Jan 16, 2013 4:45 pm

O rugido fez o homem fechar os olhos, virando o rosto para o outro lado. Mal podia resistir, e sabia disso. Esse foi tão fácil de mastigar quanto a mãe, como se os dois fossem feitos do mesmo material mole e fraco. Após saciar seu desejo por sangue e destruição, Khloe encontra-se sem inimigos naquele beco escuro, e perceber tal fato começa a acalmá-la, embora as paredes não estivessem seguras enquanto ela não adormecesse, o que não demorou muito.

-

Fim de cena!
avatar
Narração

Mensagens : 317
Data de inscrição : 12/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Narração - Olhos Cinzentos

Mensagem  Narração em Qui Jan 17, 2013 12:11 pm

A mudança havia levado dois dias. Olhos-Cinzentos e sua alcateia haviam sido transferidos de um zoológico californiano para um zoológico na grande Cidade do México, e depois do longo dia, todos finalmente tinham algum tempo para descansar. A comida não havia sido farta o bastante, deixando os nervos um pouco alterados entre os lobos, atormentados pela fome. Entre os uivos coletivos, algo de errado acontece: os conhecidos sons humanos. Sons de risos, falas altas. 3 homens aparecem diante do viveiro dos lobos, portando coisas compridas como os galhos de uma árvore. Um deles diz para os demais.

- Olha só! Uns novatos pra nóis brincar essa noite!

avatar
Narração

Mensagens : 317
Data de inscrição : 12/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Olhos-Cinzentos - Narração

Mensagem  Noh-Tante em Qui Jan 17, 2013 12:17 pm

* Espreguiça *

"Quem são esses?" "Que coisas são essas nas mãos deles?"
avatar
Noh-Tante

Mensagens : 41
Data de inscrição : 17/01/2013
Idade : 26
Localização : México

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Narração - Olhos Cinzentos

Mensagem  Narração em Qui Jan 17, 2013 12:28 pm

Os três se aproximaram da matilha. Um deles carrega uma coisa mais comprida, e após darem uma olhada nos lobos, um dele diz.

- Aquele ali, o maior.

E se aproveitando da posição do lobo, o com a coisa maior se aproxima, prendendo o pescoço de Olhos Cinzentos em algo difícil de arrebentar, mantendo-o longe pela rigidez da coisa. Os demais começaram a e rosnar e avançar, mas foram afastados pelos outros dois. Olhos Cinzentos podia perceber que estavam fedendo a algo estranho (álcool).

- Segura aí que vou dar um jeito no grandão!

Um dos outros dois falou. O outro ficou entre os humanos e os lobos, ameaçando-os com um som estranho (um bastão elétrico). O homem que se aproximou abaixou a calça, começando a urinar no imaculado pelo branco de Olhos Cinzentos, impregnando seu cheiro no rosto e juba do lobo.

- Há! Quem é que marca território agora, heim!?!?!

avatar
Narração

Mensagens : 317
Data de inscrição : 12/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Narração - Calixto

Mensagem  Narração em Qui Jan 17, 2013 12:46 pm

Calixto estava dormindo em seu hotel. Sua missão ali era simples: aprender, fazer. Os dias eram longos, e as noites tinham que ser aproveitadas para o sono, mas algo estava diferente naquela noite. Um estranho pesadelo se seguia, uma voz maligna ecoava em sua cabeça, até que o fez acordar. Se olhasse o relógio, veria que eram 23h. Estranhamente, o filho do chefe sentia uma enorme vontade de sair, sem saber para onde, mas instintivamente, parecia saber. Apesar de ter tentado pensar em sua necessidade de sono, o guerreiro acaba sendo vencido, e se levanta para sair do hotel.
avatar
Narração

Mensagens : 317
Data de inscrição : 12/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Calixto - Narração

Mensagem  Calixto em Qui Jan 17, 2013 12:55 pm

Após um pesadelo, Calixto levanta de súbito, deveria dormir mais algumas horas, mas a monotonia incensante daquela selva de pedras, cheia de seus sons irritantes o perturbava. Mas algo além o movia nesta noite em especial, tinha um desejo ainda maior de se libertar daquelas quatro paredes. Precisava sair, seguir seus instintos, mesmo que tivesse que respirar o ar purulento daquela cidade infeliz.

Coloca uma camiseta leve, uma calça jeans folgada (presentes de seus amigos que insistiram tanto para que ficasse naquele inferno ao invés da liberdade de sua terra). Relutante em colocar os sapatos que lhe deram põe nos pés apenas uma sandália de couro fechada.

Fecha a porta e entrega as chaves na recepção, sempre com sua cara bruta e fechada. Mal olha para o recepcionista. E quando coloca o pés fora daquele recinto pensa em voz alta:

- Mas que inferno fedorento.
avatar
Calixto

Mensagens : 108
Data de inscrição : 16/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ruas – Região Central

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 8 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum